10 razões para cuidar da qualidade do ar interior (IAQ)

Embora invisível, a qualidade do ar interno nem sempre é tão limpa quanto gostaríamos de pensar. O ar preso e estagnado em nossas casas contém muitos poluentes que, combinados com a má ventilação, podem irritar nosso sistema respiratório. Monitorar a qualidade do ar interno é essencial se você deseja proteger seus filhos e entes queridos, e é por isso que damos 10 razões para cuidar do seu QAI.

As nossas casas são 5 a 10 vezes mais poluídas do que o ar exterior

Numerosos estudos mostraram que a poluição do ar interior é muito maior do que os níveis de poluição exterior. Há muitas razões para isto. Entre eles encontramos: o uso de perfumes e sprays desodorantes, ventilação defeituosa, fumaça de cigarro, compostos orgânicos voláteis, etc. Sabendo que passamos mais de 80% do nosso tempo trancados em espaços fechados, é mais do que urgente agir para respirar ar saudável em casa.

Inspiramos e expiramos em média 22 vezes por dia

É precisamente porque nosso corpo requer um suprimento permanente de oxigênio que devemos prestar muita atenção qualidade do ar interno que respiramos. Nossos meios de comunicação já nos alertaram sobre a qualidade do ar externo, mas raramente ouvimos falar sobre os riscos associados à qualidade do ar interno. Os gestos para respirar ar saudável em casa são, no entanto, simples: ventilar 10 minutos de manhã e à noite, não usar produtos em spray e para os ambientes mais poluídos: instalar um desumidificador de ar ou um purificador de ar muitas vezes é suficiente para encontrar um ar de qualidade.

Seus móveis poluem o ar ambiente

A maioria dos móveis que compramos contém produtos químicos usados ​​para retardar o aparecimento de chamas. O problema é que esses retardadores tendem a liberar VOCs no ar que inalamos. Estas emanações de compostos orgânicos voláteis são explicadas em particular por uma degradação dos materiais utilizados no design do mobiliário. Portanto, não é sem razão que recomendamos arejar os móveis vários dias antes de montá-los.

Purificadores de ar: veneno em uma bomba

Os purificadores de ar que deveriam nos proteger dos maus odores são, na verdade, uma verdadeira fonte de veneno para o ar que respiramos. Isso ocorre porque eles contêm ftalatos, substâncias químicas nocivas conhecidas por interromper a função hormonal em bebês e crianças. Esses produtos químicos são conhecidos por interferir no desenvolvimento reprodutivo e agravar condições respiratórias, como a asma. Além disso, os terpenos liberados pelos desodorantes interagem com o ozônio para formar formaldeído e acetona em concentrações que podem reduzir nossas capacidades respiratórias.

Velas: essa tendência que quebra o clima

Você pode não ter notado, mas suas velas de parafina perfumadas contêm substâncias cancerígenas como benzeno e tolueno. Também notamos a presença de hidrocarbonetos chamados alcanos e alcenos que são encontrados na fumaça emitida pelos escapamentos de nossos carros. Se você comprar velas, escolha variedades feitas de soja ou cera de abelha e perfumadas com óleos essenciais puros.

Impressoras a jato de tinta prejudicam a fertilidade

A tinta em nossas impressoras domésticas contém glimas. Sabe-se que esses produtos químicos industriais estão associados a distúrbios de desenvolvimento e reprodutivos. A exposição repetida e prolongada a esses compostos não é recomendada, por isso convidamos você a favorecer o zero papel no trabalho e em casa.

O ar em nossas escolas é um dos piores

Nossas escolas acomodam até quatro vezes mais alunos do que um prédio de escritórios comum (para a mesma área). O que é preocupante é que nossas crianças respiram mais ar do que um adulto em relação à sua massa corporal. Recentemente, o governo francês defendeu a instalação de sensores de CO2 nas nossas escolas para combater a Covid-19. Essa medida provou ser benéfica porque nossos querubins agora respiram ar de qualidade na escola.

Poluição agrava a asma

5,8% dos franceses são asmáticos e o número de pacientes continua a aumentar a cada ano. Entre os 4 milhões de asmáticos na França, quase 6% têm uma forma grave. O INSERM também estima que mais de 900 pessoas morrem a cada ano desta doença na França.

Os idosos são os mais afetados

As pessoas mais vulneráveis ​​à poluição do ar são os idosos. Com efeito, estes últimos passam a maior parte dos seus dias trancados, seja em casa ou em centros de acolhimento adaptados à sua idade. Um estudo português também revelou que os doentes idosos nos centros de saúde foram expostos a altas concentrações de fungos, o que afeta negativamente a sua saúde respiratória.

A poluição do ar interior não afeta apenas nossas habilidades respiratórias

Os poluentes do ar doméstico são numerosos. Entre eles estão esporos de mofo, pólen, radônio, pêlos de animais, formaldeído, partículas de poeira, etc. A maioria desses poluentes são considerados partículas finas ou ultrafinas. Eles atravessam facilmente nossas paredes respiratórias uma vez inalados e, assim, acabam na corrente sanguínea. Algumas partículas podem até atravessar a barreira hematoencefálica. Dores de cabeça, olhos secos, congestão nasal, fadiga e até náuseas são sintomas comuns. Problemas mais graves, como asma, infecções pulmonares ou até câncer de pulmão, estão ligados à exposição a partículas finas.

5/5 - (1 voto)