10 motivos para se interessar pela conquista do espaço

A conquista do espaço é o sonho de muita gente, e isso é normal.

A exploração do espaço envolve grandes investimentos econômicos, riscos enormes e objetivos aparentemente inatingíveis. Então, por que devemos nos envolver nisso? Porque pode nos trazer, como indivíduos e como espécie, benefícios inesperados. Aqui estão 10 razões para incentivar a exploração espacial

Uma bela galáxia vista da Terra

Ele nos protege de asteróides

A ameaça dos asteróides deve ser levada em consideração: um programa espacial sério e bem financiado deve ter a capacidade de monitorar os grandes asteróides que podem destruir potencialmente o nosso planeta. Pequenos asteróides estão se desintegrando na atmosfera a uma taxa de um a cada duas semanas, mas alguns têm mais de 100 metros de diâmetro e devemos estar atentos. Felizmente, já temos instrumentos que nos permitem (na maioria dos casos) prever e estudar o trânsito dos asteróides.

Ele protege nossa saúde

Do braço robótico que pode operar diretamente usando imagem de ressonância magnética funcional (MRI) a métodos de entrega de medicamentos anticâncer direcionados diretamente às células doentes, a pesquisa em microgravidade trouxe importantes inovações na medicina. Uma das áreas mais promissoras hoje é a pesquisa em osteoporose - uma doença que resulta na perda de massa óssea, o que significa que os ossos se tornam fracos e mais propensos a quebrar. Esta doença não afeta apenas os idosos (principalmente mulheres), mas também os astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS). Após um mês de exposição à microgravidade, um astronauta perde cerca de 1,5% de sua massa óssea, o mesmo percentual que um idoso perdeu ao longo de um ano. Portanto, não só existem muitas oportunidades de experimentar novos medicamentos e tratamentos para a osteoporose no espaço, mas também é muito mais fácil fazê-lo do que na Terra.

Está na origem de grandes descobertas

Do cobertor térmico espacial, usado hoje por maratonistas no final das corridas, aos aspiradores de pó portáteis que agora temos em nossas casas, a pesquisa espacial legou algumas inovações surpreendentes e agradáveis ​​que todos nós, não astronautas, usamos.

Ela inspira as gerações mais novas

Você pode perguntar a uma criança: "Você gostaria de se tornar um engenheiro aeronáutico e projetar um avião 20% mais eficiente do que o modelo anterior?" Ou você pode perguntar a uma criança: "Você gostaria de se tornar um engenheiro aeronáutico e projetar uma espaçonave que pudesse ir a Marte?" Adivinhe qual pergunta provavelmente a levará a estudar e sonhar em realizar grandes coisas?

Precisamos de novas matérias-primas

Muito se tem falado sobre as empresas privadas, ávidas por extrair matéria-prima dos asteróides, para transformar o material espacial em dinheiro. Mas você não precisa ir tão longe quanto os asteróides para encontrar as matérias-primas de que precisamos na Terra. A lua, por exemplo, é rica em hélio-3, um isótopo muito raro na Terra que é usado principalmente para pesquisas de fusão nuclear. Na lua também encontramos európio e tântalo, elementos sempre necessários na área da eletrônica e na construção de painéis solares.

Isso nos garante maior segurança global

O papel político dos satélites de vigilância no estudo dos movimentos militares dos países é bem conhecido. Ao garantir um lugar na vanguarda da pesquisa espacial, superpotências militares como os Estados Unidos, Rússia e China podem monitorar os movimentos de países rivais e prevenir, por exemplo, a corrida para possuir uma "fatia" do espaço e recursos que oferece ( pense na lua, por exemplo). Os Estados Unidos, a União Soviética e a China assinaram um acordo internacional em 1967, que impede qualquer reivindicação de soberania sobre parte do espaço sideral e proíbe a colocação de armas nucleares na órbita da Terra, na Lua ou em outros corpos celestes.

É um exemplo de colaboração pacífica

Muitas colaborações positivas entre as nações surgem da exploração espacial, desde a subdivisão de custos até o compartilhamento de recursos tecnológicos que mantêm os astronautas seguros (pense nas naves russas que levaram até mesmo americanos ao espaço). Claro, eventos políticos internacionais podem ter um impacto sobre os planos de longo prazo de agências espaciais individuais, mas, até agora, eles não conseguiram minar a amizade e o espírito de grupo a bordo da ISS.

Ela poderia responder a esta pergunta eterna ... estamos sozinhos no universo?

Até agora, o Telescópio Espacial Kepler revelou uma longa lista de outras "Terras" além do nosso sistema solar, localizadas em cinturões habitáveis ​​ao redor de suas respectivas estrelas. Todos são potencialmente hospitaleiros para o resto da vida. Em 2018, o Telescópio Espacial James Webb descobriu um novo planeta que poderia se tornar um gêmeo da Terra, capaz de acomodar formas de vida alienígenas.

Responde a um desejo secular

De fato, existem razões práticas e econômicas para explorar o espaço, como apontamos acima. Mas também existem outras razões, menos abertamente racionais. Em primeiro lugar, há um motivo por trás da disposição das pessoas de arriscar suas vidas explorando o espaço: é a sede de exploração que caracteriza a humanidade desde tempos imemoriais. Sem essa sede, nossos ancestrais nunca teriam deixado a África, muito menos pisado na lua. E nunca teríamos ido a um cometa, como a missão Rosetta fez no ano passado, para pesquisar as origens da vida.

Devemos colonizar o espaço

Já houve danos suficientes neste planeta. Muito em breve, se quisermos que a raça humana sobreviva, teremos que colonizar outro planeta. De acordo com um relatório de 2012 do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, a Terra pode sustentar uma população de no máximo oito a dezesseis bilhões de pessoas. Uma vez que já ultrapassamos os sete bilhões, em breve teremos que considerar novos mundos para nos estabelecermos. Essa é uma pesquisa que já começou.

5/5 - (3 votos)